sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

REALISMO / NATURALISMO

••• Contextualização da obra O CORTIÇO de Aluisio Azevedo.

Cronologia do Realismo no Brasil: Naturalismo e Parnasianismo.

Início: 1881 – publicações de Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (Realismo) e de O Mulato, de Aluísio Azevedo (Naturalismo); em 1882 publicação de Fanfarras de Teófilo Dias (Parnasianismo).

Contexto Histórico

1840-1889: Vigência do segundo reinado de D. Pedro II;
1850: Extinção do tráfico negreiro;
1870: Crescimento do comércio exterior e da imigração européia, aumento da exportação de café e inicio da industrialização;
1889: Proclamação da Republica.

• O Realismo foi uma escola artística que surgiu na segunda metade do século XIX em reação ao Romantismo e a sua base é a observação da realidade na razão e na ciência;
• Esse movimento artístico surgiu na França e se estendeu por diversos países europeus, é nesse período que ocorrem as primeiras lutas sociais;
• O engajamento ideológico faz com que muitas vezes as situações descritas sejam exageradas para reforçar a denuncia social.
• Na literatura o realismo se manifesta na prosa. A poesia da época vive o Parnasianismo;
• As influencias intelectuais que fizeram com que o Realismo se destacasse foram as reações contra as características românticas e as suas falsas idealizações do entusiasmo amoroso, essa transição do Romantismo para o Realismo marca uma mudança da "fantasia" e "imaginação" para o "real" e "objetivo".

Veja a comparação entre Romantismo x Realismo:

Romantismo = fantasia, emoção, subjetivismo, escapismo (fugir da realidade), idealização das personagens, linguagem expressiva, nacionalismo, proximidade emocional do autor com os temas....
Realismo = realidade, razão, objetivismo, engajamento (transformar a realidade), retrato fiel das personagens, linguagem objetiva, universalismo, distanciamento racional do autor com os temas...

• O romance social, psicológico e de tese é a principal forma de expressão, pois torna-se veículo de crítica a instituições, como a Igreja Católica, a burguesia, a escravidão, os preconceitos raciais e a sexualidade, esses são os principais temas que são tratados de forma clara e direta;
• O Realismo mostra uma reação ao subjetivismo do Romantismo e essa objetividade sem conteúdo ideológico leva ao Naturalismo. Apesar de muitas vezes o Realismo e Naturalismo se confundirem;
• O Naturalismo não é independente do Realismo, pois ambos têm como objetivo a descrição da realidade;
• O Naturalismo incorporou ao Realismo o cientificismo da época e o determinismo;
• Os romances são teses cientificas, no qual temos a criação de situações de causa e efeito para descrever as atitudes das personagens;
• A sociedade brasileira passa por profundas transformações;
• A proibição do comércio de escravos da margem ao trabalho assalariado, a imigração e ao desenvolvimento da classe média urbana;
• A industrialização deu um impulso no capitalismo e contribuiu para a decadência do regime monárquico, o que causou grandes mudanças políticas, sociais e econômicas;
• A presunção de que a ciência poderia explicar tudo, faz com que a literatura se deixe influenciar pelo cientificismo e objetivismo.

Observe a comparação: Realismo X Naturalismo
Realismo

1. Tratamento imparcial e objetivo dos temas;
2. Faz uma investigação da sociedade e das características individuais e essa investigação é feita de "dentro para fora", ou seja, temos uma análise psicológica;
3. Destaca as relações entre os homens e a sociedade burguesa, criticando suas instituições e seus fundamentos ideológicos.
Características:

1. Veracidade - o realista evita situações que pareçam artificiais.
2.Contemporaneidade - o realista procura a realidade o que lhe é contemporâneo.
3. Retrato fiel das personagens – o realista retrata tipos concretos, não idealizados.
4. Gosto pelos detalhes específicos – o escritor não abre mão dos detalhes e minúcias.
5. Materialização do amor – aspecto físico.
6. Denuncia das injustiças sociais – os artistas fazem da arte uma arma de combate e denuncia das diferenças sociais.
7. Determinismo e relação entre causa e efeito – o realista procura uma explicação para as atitudes das personagens, considerando os fatores que justificam as suas atitudes.
8. Linguagem próxima à da realidade e preocupação formal a linguagem realista retrata a realidade de forma simples, correta, equilibrada e clara.

Naturalismo

1. Tratamento dos temas a partir de uma visão determinista;
2. Faz uma investigação da sociedade e das características individuais e essa investigação é feita de "fora para dentro", ou seja, as personagens são mostradas de acordo as influências sociais e biológicas que determinam as suas ações.
3. Destaca a descrição dos tipos humanos, as patologia, parentesco entre o homem e o animal e a influência que o homem sofre do meio em que vive.
Características:
1. Visão determinista e mecanicista do homem – o homem é visto como um animal e determinado pelo meio em que vive.
2. Incorporação de termos científicos e profissionais – vocabulário ligado à medicina, à biologia e as profissões exercidas também pelas classes menos favorecidas.
3. Personagens patológicas – os naturalistas preferiam personagens doentes, assassinos, bêbados, miseráveis, prostitutas...
4. Cientificismo – o homem é considerado pelos naturalistas como um caso a ser analisado cientificamente.
5. Critica social e reformismo – os naturalistas visam uma modificação no quadro negativo da realidade social.

••• O Naturalismo acentuou as características do Realismo e se destacou por acrescentar os esse elementos.
-------------- x--------------- x --------------- x ---------------- x -------------- x -----------

*Surgiram algumas teorias como conseqüência das solicitações materiais da época, que fundamentaram ideologicamente a literatura do Realismo-Naturalismo. Observe – as:

Determinismo: (Hippolyte Taine, 1825-1893) o meio social, a raça e o momento em que vive determinam o comportamento do homem.
Evolucionismo: (Charles Darwin,1809-1882) defende a tese de o homem descende dos animais inferiores.
Zoomorfismo: homem = animal
Positivismo: (Augusto Comte, 1789-1857) o conhecimento só é válido quando comprovado cientificamente. Evolução do pensamento humano. Tese que acreditava que o homem estava entrando no terceiro ciclo de sua evolução, o ciclo "positivo" da era cientifica.

Principais autores do Realismo/Naturalismo

• No Realismo temos Machado de Assis e Raul Pompéia.
• No Naturalismo temos Aluísio Azevedo.
• No Parnasianismo destacam-se Olavo Bilac, Raimundo Correia, e Alberto Oliveira.
Daremos ênfase ao autor da obra O Cortiço estudada pelos alunos:

Aluísio Azevedo (1857-1913)

Aluísio Tancredo Gonçalves Azevedo nasceu em São Luiz, Capital do Maranhão, em 1857. Sua habilidade como caricaturista deu origem a um método original de trabalho: segundo depoimento de um amigo da época, o escritor primeiro desenhava suas personagens, pinta-as e recortava-as sobre papelão, para depois escrever as cenas de seus romances. Nada mais condizente com a atuação de um escritor naturalista!
Ajudou a lançar, em São Luis, o jornal O Pensado, que fazia ferrenha oposição ao clero. Com o Mulato provocou escândalo na sociedade maranhense – muitas pessoas se viram refletidas na obra.
Obra:
Romances românticos: Uma lágrima de mulher (1879); Memórias de um condenado (ou A condessa Vésper) (1882); Mistério da Tijuca (ou Girândola de amores) (1882); Filomena Borges (1884); A mortalha de Alzira (1894).
Romances naturalistas: O mulato (1881); Casa de pensão (1884); O homem (1887); O cortiço ( 1890); O coruja ( 1890).
Escreveu também contos e crônicas.
Aluísio Azevedo pretendeu interpretar a realidade de uma camada social marginalizada, em franco processo de degradação, quer pela força da pressão social, quer pelo determinismo – teoria que considerava válida.
(Fonte: Texto retirado – FARACO, Carlos Emilio & MOURA Francisco Marto. Português, p.228)
Referencias:

AMARAL, Emília. FERREIRA. Mauro. LEITE, Ricardo. ANTÔNIO Severino. Novas Palavras. Português Ensino Médio. 2ed. São Paulo: FTD, 2003.p.167-172

AZEVEDO, Aluísio. O Cortiço. Coleção Literatura em Quadrinhos. São Paulo: Escala Educacional, 2006.

FARACO, Carlos Emilio & MOURA Francisco Marto. Português. Novo Ensino Médio.1ed. São Paulo: Ática, 2002. p.228

MAIA, João Domingues. Português. Série Novo Ensino Médio.1ed. São Paulo: Ática, 2003. p.190-216.

SARGENTIM, Hermínio. Língua Portuguesa no Ensino Médio.São paulo: IBEP. p. 389-403

SARMENTO, Leila Lauar & TUFANO, Douglas. Português. 1ed. São Paulo: Moderna, 2004. p.101-109

Um comentário:

Wellington V. Fochetto Jr. disse...

Olá.

É muito importante esse esforço de vocês em postar esse "quadro" comparativo entre Realismo e Naturalismo. Tudo o que pode ser dito para esclarecer dúvidas quanto aos estudos em Literatura deve ser incentivado.

Considero essa postagem de vocês algo de grande valor.

Muito obrigado, Gente.

W. Vinícius